segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Interiorizando e só exalando o bem.

  Gosto de me desconectar lá de fora. Essa semana os astros aconselharam: “...aproveite que é um ser bastante interior e reflita mais sobre o que pode mudar para melhor o seu redor”. E eu segui a risca. Me sinto mais leve por admitir erros que o meu orgulho não queria me deixar enxergar. Coisa que, no fundo, até sabia que não funcionava do jeito correto e que não era leal comigo e com os outros, e pensei em mudar.
  “Astros em Leão acionam seu orgulho, vaidade e espírito de luta. Para quem sente o mundo de forma tão intensa e delicada como você, é boa opção canalizar essa garra toda nas artes.” E na verdade, eu consegui aliviar meus problemas com Leão. De certa forma, esses dias mudei o meu exterior interiorizando primeiro. “Porque não dar o braço a torcer?”, pensei comigo. Isso me fez bem, apesar de ainda restar muito o que elucidar e desabafar. Confesso que meu nervosismo ao falar de minhas fraquezas ainda é um ponto negativo, que impede que eu me expresse bem e descarregue o que há pra descarregar duma vez. Sempre fica restando alguma frase. Mas pra início, acredito que já me fez leve sim.
   Ontem eu pensei em pensar só em mim, me valorizar. Hoje penso mais no coletivo, no bem de fora que vai fazer bem aqui dentro também, e isso não descarta o meu valor. É que quanto a isso eu tinha um pensamento frustrado com as decepções que já vivi, e então ficava com aquele egoísmo resolvendo pensar mais em si e só. Isso era rancor. E agora o que mais quero é me desvencilhar de sentir algo assim.
  Ainda continuo me calando, guardando e pensando mais que falando. Tenho lido horóscopo e ouvido novas músicas. Muito se encaixa, muito me inspira. Tenho meus momentos, e neles eu preciso ouvir a melodia que vem aqui de dentro. Preciso me sentir. Acho que não deve deixar de ser assim, mesmo quando eu esteja acumulada. É que têm coisas que só cabem a mim, elas não precisam preocupar as outras pessoas, porque sei o percurso que elas vão fazer. E elas mudam. É melhor calar que falar, porque quando mais tarde eu me curar, vou ficar com aquele peso errado do lado de fora. E pra fora, eu quero muito deixar tudo leve e harmonioso.

7 comentários:

Srtª Vihh disse...

Faz bem...
Nossa, orgulho é com o Leão mesmo, dá até raiva, porém está tudo certo, o negócio é o equilíbrio sempre.

Tamara Lacerda disse...

Verdade, Vih. Os leoninos são orgulhosos, mas a sensibilidade é grande e as vezes pode falar mais alto, ainda bem! Mas eu sou de Peixes! hahaha. É só que tava com influencia de Leão nos astros. =)

valeu, beijão!

Hugo Sheikispir disse...

Sou de peixes, dizem q sou, mas não acredito muito... kkkk.. Tamara, e quando a gente quer pensar no outro, dizer que ama, mas essa pessoa não sabe se vai ou se fica?? Não sei se penso mais em mim ou no coletivo.. :( essas coisas estão nos meus posts (é, voltei a postar aqui.. rsrs) recentes do ANDANDO DISTRAÍDO... aparece por lá, viu? bjo.

Marcos Paulo disse...

Acho que todo mundo deve ter um pouco de cada signo... Me sinto muito assim como vc... Depois vai mudando, muda e muda... uma coisa de louco! rsrs...

Bjão, Tamara. ;)

Tamara Lacerda disse...

Hugo,
acontece que mesmo quando a gente pensa no todo, a gente se faz bem. Como eu falei, não descarta o nosso valor.
Nesse texto eu não me referi a relações assim especificamente amorosas, entende? rs. Mas acho válido considerar que existem dois lados, que você não tá sozinho quando há qualquer tipo de laço(ou ate deslace) com um outro. Pensa em si, mas não com egoismo, não arranjando culpas alheias.
Vou conferir seus posts novos. Ando meio sem tempo, mas vou. Ta? =)

beijão

Tamara Lacerda disse...

Marcos, concordo com você. Mutação é válida pra todo mundo... eu vejo alguns pontos da astrologia mais como identificação de acontecimentos e reações frequentes. Como entendimentos. rs mas ai vai de cada um...
qual é o seu signo? =)

beijo

Marcos Paulo disse...

Oi, Tamara. Bom dia. Sou de Capricórnio. :)

Me add no msn, vamos "astrolofar" rsrs...

Bjão!

marcosoluap@hotmail.com

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...