segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

"As vezes eu só quero descansar, desacreditar no espelho, ver o sol se pôr vermelho..."

De vez em quando, eu sinto vontade de nada precisar rotular. Só respirar. A rotina, as ideias, as vontades; tudo se mistura e no final das contas falta espaço. É que ocupo meu tempo esquentando a mente e depois não me resta mais nada dele pra pôr as coisas em ordem, ou até pra desorganizar mesmo. Entre o que faço e o nome do que quero fazer existe um abismo chato. Me gasto na tentativa de compreender e de encontrar esse nome, e assim, na mesma falta do tempo, vem o vazio. 
De vez em quando, preciso desfazer o nó. De alguma forma entender, nomear, praticar. Caio num imbróglio. Falta ar e volto àquela vontade de parar o mundo, de desligar o botão do raciocínio. Porque que nós, pessoas, buscamos tanto entender de tudo e arranjar um nome presses tudos? Porque se sustentar nos rótulos e querer nos enquadrar? E porque tanto dessa teimosia aqui? 
De vez em quando, um sorriso no rosto cura nossa alma. É bom se acomodar num cantinho, longe das placas, das regras invisíveis e das visíveis também. De vez em quando... De vez em quando deve ser só questão de tempo pra parar de pensar em tanta coisa ao mesmo tempo. O tempo até pode dar conta. O pensar é que as vezes não sabe se encaixar nele.

1 comentários:

S disse...

Eu digo que o tempo não sabe se encaixar nas minhas vontades, então fica difícil seguir a ordem normal das coisas, enquanto isso eu odeio qualquer coisa que seja rotulável. E eu adorei aqui viu! Beijos querida!

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...