sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Ventania


Reinvento
tudo outra vez.
Sem cautela me desfaço,
me atraso e mudo o mês

Rein vento,
encontro a calma
Devagarinho os pés descalço
pra então lavar a alma

Reinvento
há tanto tempo
Esqueço os erros e os acertos
e busco apenas alento

Rein vento,
nada a me arrastar
E entre meus tantos apelos
só me recordo o de voar


[ Blackbird - The Beatles ]

2 comentários:

Má Midlej disse...

que versos doces, tami. achei sua cara, sabia? :)
Ler ouvindo Blackbird tornou tudo ainda mais lindinho. :)

Fiquei apaixonada pela poesia. Um beijo n'ocê.

Fique mais um segundo... disse...

Oi, Tammy, boa tarde!!
Que maravilhoso poema! Não apenas pelo tema,tão impactante, que é reinventar; mas, também, pelas quadras tão perfeitas, tão exatas no sentido e na escolha das palavras; e, é claro, pelo fecho tão decisivo, tão definitivo! Obviamente, nada representaria melhor esse desejo ardente de reinventar que o voo.
Fiquei também encantado, tocado por cada linha. É muito inspirativo mesmo!
Um beijo carinhoso
Leo
PS: Amo esse blog.

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...