quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Doce sentir

Queria uma caixinha que pudesse guardar meus sorrisos junto as minhas melhores sensações. Tenho tido ótimos deles, tenho deixado o ‘apesar dos pesares’ de lado, tenho vivido. E queria, queria muito, poder colocar isso numa caixa e carregar comigo pra que toda vez que a tristeza viesse atrás de mim eu a abrisse e mostrasse o quanto posso ser feliz quando me permito viver o sentir. Sentidos, sensações, sentimentos, sentires. Vou então guardar no tumtumtum do peito todos eles, talvez seja a melhor caixinha que eu posso ter ao meu alcance. Tomara que caiba bastante e que me faça recordar como é bom fazer (e me fazer) sorrir. 

4 comentários:

Srtª Vihh disse...

ah, eu tbm queria uma caixinha dessas, garota!

Maria Midlej disse...

Não coloca na caixinha, não é pra guardar. É pra sentir, e eu to tão feliz com essas coisas bonitas na tua vida, moça. Porque eu acho que você merece muito mais, até.

Então aproveita. E que não acabe nunca.
Beijo grande, flor.

Fique mais um segundo... disse...

Oi, Tammy, boa tarde!!
Princesa, eu voltarei mais tarde para comentar. Por agora, vim deixar meu contato: lellobandeira@hotmail.com. Pode me adicionar no msn, se desejar.
Beijo carinhoso, lindinha.
Leo

Rebeca Amaral disse...

Sabe onde eu guardo essas doçuras? Nos olhos.
Porque o coração anda meio recluso, na maioria das vezes, distante das pessoas reais. E de que adianta ter um tesouro tão lindo e mantê-lo guardado, escondido num lugar tão complicado? Assim, cada vez que te cruzarem um olhar vão ver o quão foi bela tua trajetória. O mundo precisa de coisas assim, de raridades, sorrisos. Mostre-os!

Um beijo, flor.

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...