segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Doce lar

Tem pessoas que são casas. Elas te deixam ser tão você que você nem percebe o quão a vontade está pra falar de alma das suas besteiras, do seu modo de enxergar o mundo lá fora... A porta da casa não fica trancada sempre, você é livre para passear, se relacionar com o tal mundo e quando quiser pode voltar, abrir a janela pro ar fresco circular e estar no seu conforto novamente. Quando for preciso da segurança do lar, pode fechar a porta e a janela e ficar bem ali no seu cantinho com sua casa. Essa questão de afinidade não se explica nem se cria, ela nasce sem nem notar. As pessoas podem ser como um lar umas pra outras e fazerem bem aos corações pedindo em troca sintonia e só, o que não exige esforço algum. Sintonia flui. Estar em sintonia já é estar em casa. E mesmo que você não tenha um bom conceito de casa, no concreto, entenda como um lar o seu peito quando está acalentado. E como todo lar, precisamos cuidá-lo, resolver problema de encanação quando surgir, limpar as sujeiras... Ficar atento ao mal que outros ambientes podem lhe causar e não deixar isso interferir em casa! Cuidar da casa, cuidar do peito, é cuidar de nós mesmos também. 

7 comentários:

Fique mais um segundo... disse...

Oi, Tammy, boa tarde!!
Sim, muitas pessoas são casas com janelas de vidro voltadas para as nossas, sem muros a servir de separação, com as portas apenas encostadas e cadeiras de balanço ou redes na varanda, para longas confidências, de dia ou noite a dentro...
Tem razão, menina, toda razão: sintonia flui. Sintonia são ondas do coração, frequência da alma... Aqueles que querem ser coração, que querem abrir a alma, sempre serão uma casa de portas abertas...
Maravilhoso texto, como sempre.
Beijo carinhoso
Doces sonhos, menina
Leo

Fernando Gonçalves disse...

Olá, parabéns pelo seu blog.
Te convido a conhecer o meu,
http://carmasepalavras.blogspot.com/

;)

Hugo R. disse...

Esses refúgios humanos que nos encerram. É tão bom encontrar alguém que parece um porto seguro mesmo, que alivia tuas problemas... "cuidar da casa, cuidar do peito"... tão bonito.

Samuel Cardim disse...

Parece que eu acerto em vim no seu blog quando eu preciso ler algo que estou pensando. Ultimamente tenho divagado sobre essas questões de pessoas e sentir-se bem com as mesmas. E é tudo desse modo aí e mais precioso ainda quando você fala em "resolver problema de encanação quando surgir, limpar as sujeiras...". Só que tem gente que não percebe isso, sabe? E casa abandonada tende a ficar feia, mas creio que o importante é fazermos nossa parte... em se tratando de nosso "doce lar" vale mais fazer muito e não ser reconhecido do que ser conhecido por não ter feito. Valeu pelo texto. = )

Ana Clarissa disse...

Sou fã desse blog! Estou sempre por aqui =) E como estou feliz em saber que um pensamento que me fez tão bem foi postado no dia do meu aniversário. Dessa vez não poderia deixar de comentar. Prazer em conhecê-la Tamara.

Tamara Lacerda disse...

Ô gente, obrigada pelo carinho de vocês. Esse texto tem um valor importante pra mim! Fico feliz de ver que vocês gostam e se identificam.

Samuel, adoro essas conexões. Acontecem demais comigo! haha Que bom que foi assim pra você! =D

Ana, obrigada! É muito bom saber que tem pessoas simpáticas como você que vêm me lendo. Sempre que puder manda um alôzinho desse, é estimulante pra mim, sabe? =)

beijocas a todos!

Luana disse...

Que coisa mais linda *-*

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...