sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Existiria.

Não seria nada mecânico, teria de ser orgânico e puro. Orgânico, puro e terno, nas horas em que se pedisse apego. Orgânico, puro e frio, pra solidificar quando estivesse a derreter.
Sem que precisasse dizer o que há em mim, compreenderia. E seria severo pra que eu pudesse esquecer mais do eu e também compreendesse.
Faria-me imbróglios, cortes e ironias, depois deleitaria comigo nos remendos de nossos braços afetuosos.
Traria vocabulário mudado pra cada gesto de olhar. Que arrancasse-me salivas e que mostrasse-me dentes, na maior parte do tempo.
Transitaria junto. Teria, assim, minha descoberta, meu abrir mão e meu descansar do mundo.

Como dois pés que buscam cobertor, rosto que procura frescor, pescoço que anseia afago, alento.
São irreconhecíveis os quereres submersos em tantos devaneios. Mas existem fortemente. Desbotados, amarrados e tão precisados.


7 comentários:

Ruan Andrade disse...

Excepcional.
Estás escrevendo muito bem Tam, parabéns.

Poemas e Amizades disse...

Oi, Tamara, boa tarde!!
O trecho me pareceu um poema bem característico do simbolismo. Cheguei a procurar divisões nas frases...
“Não seria nada mecânico, teria de ser
orgânico e puro.
Orgânico, puro e terno,
nas horas em que se pedisse apego.
Orgânico, puro e frio,
pra solidificar quando estivesse
a derreter...”
E daí por diante...
Eu amei porque, se não me confundi no significado das palavras, parece haver alguns sentidos em que as expressões se aplicariam poeticamente: o amor, a morte, a arte, o prazer...
Reli cada vez buscando um desses sentidos... Li quatro ou cinco poemas em um. Não tinha como não amar...
Beijo carinhoso
Lello

Tamara Lacerda disse...

Lello, olhando por esse lado daria mesmo um poema. E eu realemente não tive intenção. rs. É que nunca gostei dos poemas que escrevi, dai acabo me considerando ruim nesse aspecto, ou sei lá.
Se for assim acho que você não confundiu o significado das palavras não, mas o que fica é o falar de amor mesmo.
Adorei saber que há essa possibilidade de ler vários poemas nesse texto. Geralmente eu escrevo pra mim mesma e esse é um exemplo que resolvi postar aqui, nem esperava que podia despertar esses sentidos! Fico feliz!

beijão ^^

Rebeca Amaral disse...

Cê arrasou nesse texto, em particular, Tamara. Sério, tá incrível! Muito bem escrito. Mas creio que isso acontece sempre que o nosso coração tá recheado de sentimentos sinceros, daí então qualquer poesia flui naturalmente...

Lindo, lindo! Um beijo.

Letícia M. disse...

Oi pretinha ..
Estava te devendo uma visita querida , otimo chegar aqui e ver o mimo que é esse teu blog , a sutileza e inteligencia de que sao feitos os teus textos , a simpatia que tu és!

Um beijao!

Jaci Magalhães disse...

A única palavra que veio à minha mente quando li foi: "Perfeito!".
Parabéns!

Tamara Lacerda disse...

brigada, meninas *--*

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...