terça-feira, 13 de julho de 2010

Em mim e no próximo.

Já parou pra se perguntar se a dor do próximo faz efeito em você a ponto de pensar mais nele que em si?
Eu me fiz essa pergunta hoje mesmo. Me critiquei por calar quando deveria defender e por falar quando deveria esconder. Cheguei a me achar egoísta! Mas quando fiz o inverso desmanchei rapidamente essa ideia.
No momento em que me recordei da falta de lealdade de pessoas que convivem(e as que já conviveram) comigo, pude notar que minha autocrítica é quase invalida. A covardia e até mesmo o puro egoísmo delas já me trouxeram muita decepção. E o que é pior nisso é que sempre fui relevante e procurei fingir que nunca notei, acho que por medo de cair a ficha.
Ser prestativa acaba sendo um defeito meu. Quando alguém me conta algum problema eu me reviro toda pra tentar ajudar nem que seja com conselhos. Não consigo dizer apenas "hum, que pena" e agir indiferente àquilo já que o problema não é meu. Porém são pouquissimas as vezes que recebo toda essa preocupação de volta. Já ganhei muito "hum, que pena" depois de ter me desabafado pra algumas dessas mesmas pessoas que vivem procurando minha ajuda. Por conta disso acabo ME deixando de lado.
Numa balança dos 'nãos' que não consegui dar e das vezes que pensei em mim, adivinha que lado pesou mais? Uma dica: O lado mais pesado não me trouxe tanta retribuição!
Será que é preciso endurecer meu coração pra pensar mais em mim?
Ainda prefiro acreditar que não.
Mas olha, um dia vou querer safar mais a minha pele mais que a sua, vai ser normal também! Não vejo mal algum em aprender a pensar mais em mim. Tenho aprendido. E garanto que aprendo sem esquecer que as pessoas precisam umas das outras. Pensar em mim não quer dizer que não vou pensar em você! Entende? Vai contra meus princípios ignorar a dor do outro. O que pretendo mudar, ou melhor, acrescentar, é o valor do meu eu, para que depois eu não me decepcione tanto por esperar mais das pessoas. Não quero continuar me doando a ponto de acabar esquecendo de mim.
Mais tarde vou me perguntar novamente: “Já parou pra se perguntar se a dor do próximo faz efeito em você a ponto de pensar mais nele que em si?” Pretendo responder que sim, já parei, e que aprendi que pensando em mim é que consigo ensinar ao próximo a pensar em si e no outro ao mesmo tempo.
Se fosse uma corrente daria certo.

2 comentários:

Ruan Andrade disse...

Egoísmo maior é despriorizar seu "eu". PRIORIZI-SE .. ou pelo menos tente ! [/adoreei seu texto Tam

Naira Évine Pedra disse...

Adoreeei seu texto, me identifiquei BATSANTE com ele.. Vc lê pensamentos?? kkkkkk
Bjão Tamara [ainda ñ inventei apelido, né? rs]

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...