quinta-feira, 1 de julho de 2010

Nada pra sentir


Em contramão com o tempo, com as pessoas, com os verbos... Tenho andado assim. Assim meio sem mim. Não que seja isso que eu queira deixar transcender, mas o otimismo me abandonou. E só por hoje, espero!
De certo modo acredito que tudo deve fazer sentido. Apesar de me esgotar em dias iguais e pensamentos sem fim, tenho convicção de que amanhã o novo me espera. É pra essa espera que busco um sentido. Sentido esse que está tão claro quanto um porão escuro. Se eu ao menos tivesse um plano, uma meta a ser seguida... Seria diferente?
Os dias tem sido destrutíveis nas esperas e surpreendentes no olhar pra trás. Isso me assusta! No mesmo instante em que quero o tempo passando depressa pra eu enxergar um caminho novo, sinto medo quando observo o quanto já se passou no mesmo caminho.
O tempo passa... É verdade. Muitos usam isso como desculpa pra os desprazeres que a vida proporciona. E eu aqui nem sei se estou desprazerosa ou simplesmente sem nada pra sentir. O que eu queria mesmo era poder engatinhar esse tal de tempo à minha maneira. Que droga! AINDA não descobri se querer é o bastante.

1 comentários:

Peu disse...

poha... isso me ajudou d+ agora.. tava assim.. e ainda me pego estando assim ... geralmente quando paro pra refletir de kem eu sou.. do ki eu vou fazer agora.. do ki eu vou fazer daki a pouko.. do ki eu kero fazer.. esse tal tempo que nos consome.. ki naum para em nenhum instante.. espera ki eu o acompanhe em sua velocidade.. =/ as vezes keria ser dono do meu tempo!

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...