quarta-feira, 7 de julho de 2010

Tempo clichê

Mesmo com tanta idéia pra escrever, ainda me persegue o pensamento do Tempo. Poxa, que cara chato! Tá em tudo que eu penso! :@
Nesses últimos dias que fiquei sem postar tava me amarrando pra não falar sobre ele outra vez. Mas em tudo que eu escrevia ele tava lá marcando presença. Então decidi não ignorá-lo, até por que não se ignora o tempo, não é? Por mais que se queira deixá-lo pra lá, ele vai ser sempre como um bonequinho pacman devorando cada minuto nosso.
Bom, não é a toa que as pessoas se expressam tanto ao falar sobre tempo, tempo e mais tempo. Músicas, filmes, textos, poesias... O danado sempre arranja um jeito de aparecer e dizer pra que veio, ou melhor, confundir pra que veio!
Eu, como quase todas (ou todas) pessoas que refletem tanto o tempo, não sei se quero o fazer andar depressa ou dar uma marcha ré. O ideal mesmo seria controlá-lo! Mas como se nem nossa própria mente é possível controlar? O controle é realmente um termo fajuto que nos remete apenas à imperfeição. Sendo assim, penso que o tempo é incontrolável, falso, imperfeito e mais: ESCORREGADIO! E eu não quero cair e bater de cara no chão por causa dele, vou dar um tempo pro tempo. Pelo menos por enquanto...



"Mas é que esse rebelde que grita aqui dentro
Como dez mil tambores que tremem o chão
Alcançou um estado tal
Que nem importa bem ou mal
Só resignação: e agora é tudo tempo...

Eu ia dizer, me confessar de antemão
Mas é melhor nem sim nem não."

(Rose´s song - Dante Ixo, Solana)

2 comentários:

Ruan Andrade disse...

no meu relógio, decisões compõe os minutos ! .. [/adorei o post Tam

Peu Henry disse...

huum.. pior ki eu tb tow assim com o tempo... penso em tantas coisas e so escuto o tic tac em meu ouvido ... kerendo me tomar em kda instante... tentando me preocupar o a cada segundo que passa..êta tempo, êta tempo , êta tempo !!!

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...