sábado, 27 de novembro de 2010

Felicidade nas coisas mais simples.

É que na verdade já sabemos que não é preciso o quantitativo pra fazer sorrisos. O raro é o simples, o puro. O raro é o feliz. Houveram tempos mais leves em minha vida, aquela época em que não havia com o que se preocupar, conta pra pagar, futuro pra programar. Quer leveza melhor que a cabeça de uma criança? Criança sorri em paz! Eu pelo menos fui uma criança dessas. Mas não perco essa magia, não. Ainda sei reconhecer o que me faz feliz de verdade e busco por isso. O simples, o terno, suave... A fé. Fé mesmo quando lembranças e padrões me fazem fraquejar, momento em que o mundo lá fora tentar me frear. Há fé.


"São saudades de um mundo contente feito céu estrelado. Feito flor abraçada por borboleta. Feito café da tarde com bolinho de chuva. Onde a gente se sente tranquilo como se descansasse num cafuné. Onde, em vez de nos orgulharmos por carregar tanto peso, a gente se orgulha por ser capaz de viver com mais leveza."
(Ana Jácomo)

[Felicidade - Roberta Campos]

7 comentários:

Anônimo disse...

Eu gosto tanto de ver o quanto escrever foi fundamental na sua vida.
Escrever é a solidão compartilhada, é saber que não se está só, mesmo quando não se vê ninguém do lado nas noites escuras. É saber que se pode emocionar com as nossas questões mais intimas pessoas que nem conhecemos.
Você é muito querida pra mim, e ver seus posts é um presente.
Me animo demais quando vc fala de felicidade.
Fico feliz sempre!

Lucão!

Roberta Blá disse...

O que eu mais gosto em crianças é a sua capacidade de rir com o riso dos outros. Se para cada felicidade alheia, existisse uma em concordância, a palavra tristeza já não faria mais sentido. Adorei o post flor e os seus comentários em meu blog são sempre revigorantes, obrigada.
Beeeeijos

Rebeca Amaral disse...

Com certeza, flor, os detalhes são a essência a beleza. Eu acredito que as crianças são gênios, sabe? Porque são capazes de sentir com tanta sinceridade os pormenores da vida, sem se preocupar com mais nada. Sortudos, eu diria.
E bem, eu parei pra olhar com mais atenção seu blog lindo, e fiquei super feliz quando vi os trechos de músicas aqui ao lado. Teatro Mágico, Los Hermanos, Mombojó, Móveis... As minhas quatro bandas preferidas, como pode? Temos gostos musicais tão iguais, a cada música que você põe aqui eu confirmo isso. Adoro isso aqui, querida!

Um beijo.

Ruan Andrade disse...

Fez pra mim foi ?!
êêê sintonia.
Vivo isso agora ! sem tirar, nem por.

Adorei tb o trecho de Ana Jácomo, é lindo.

Guilherme Fraga disse...

É irmpotante que as pessoas não percam a magia da infancia, pois foi um único momento em que fomos verdadeiramente sinceros.


Beijo

Srtª Mistério disse...

Oun que lindo, a felicidade esta em pequenas coisas cotidianas, um sorriso, o céu azul, as estrelas, o sol .. e nem sempre nos damos conta disso.

Poemas e Amizades disse...

Oi, Tamara, boa noite-madrugada!! (02:08h)
Outro dia desses, olhando fotos suas, achei os olhos de uma bebê muito risonha, os de uma criança tão séria(!) e vários de uma moça muito, muito linda. Mas fiquei impressionado, impressionado mesmo, com o olhar sonhador da adolescente, emoldurado por um sorriso puro, sonhador, transparente, belo. É verdade, as crianças riem mais puro, riem mais leve. Entretanto, aquele olhar e aquele sorriso me trouxeram à mente um verso do melhor dos poemas de Elisabeth B. Browning: “Com sorrisos, com lágrimas de prece, / E a fé da minha infância, ingênua e forte...” Por aquele sorriso, percebi a eterna garotinha que você sempre será. O que você aqui escreveu é verdadeiro, há fé, singeleza e raridade em você. Não deixe que nada ou ninguém, de forma alguma e jamais, tire o seu sorriso de criança ou sua fé, singela e forte.
Um abraço carinhoso
Lello

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...