quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Porque nem sempre.

Sabe como é sentir certa estagnação com o mundo lá fora? Tem vezes que vejo tudo parar, os dias iguais. Não são! É, não mesmo... Um dia a mais é uma a menos, ora! Então porque raios eu cismo nessa inércia? Quem sabe? Sei é que é decadente como a gente pode pensar por três vezes em quatro coisas distintas e, assim, se encher de duvidas, tudo por não se dispor a pensar apenas mais uma vez. Aliás, é hilário, presumo. Nossa! Quanta contradição, Tamara! tsc tsc. Mas olha só, até um hare krishna tem um diazinho "não sei o que sinto", bom diazinho banal, diga-se de passagem. E porque logo eu teria que me contentar com uma ideia fixa? Livrai-me! Quero poder descobrir como sou sortuda num dia e como tudo passa em branco no outro, como adoro ficar o dia inteiro fora de casa e como meu quarto é legal assim vazio comigo. Tô cobrando nada do mundo, nada de mim. Deixa pra amanhã essa coisa de decisão, de maturidade, de obrigação... Os dias não são os mesmos! E o nexo? Nem sempre... Hoje não to pra nada.


[Reflexões Voláteis - Velhos e Usados]

"Descanse em paz, minha sanidade."

4 comentários:

Ruan Andrade disse...

Rsrs ^^

Você é uma "FIGURA"

Hugo Sheikispir disse...

Somos nós mesmos que nos impossibilitamos... Eu lembro de pensar se ia namorar uma garota, e sempre achava um defeito nela, em mim, ou no mundo! kkkk... Agora coloco culpa na minha sorte, quer dizer a culpa é do meu azar! Rsrs... Belo texto, até mais... descanse em paz, sanidade da Tamy... kkkk... bjo!

Srtª Vihh disse...

Hoje não estou para nada, idem, flor.
:*

Poemas e Amizades disse...

Bendito intervalo! Bendita neutralidade! Benditos dias brancos e horas brancas, em que não abrimos os baldes de tinta que colorem os dias, nem tocamos nos pincéis. Inércia é lei da física tão boa quanto a do movimento. Pausa é essencial na música tanto quanto o som. É isso que molda grandes vidas, isso que molda grandes obras, é isso que faz o excelente orador! O movimento, movimento, movimento.... e a pausa! É isso que faz amores eternos. O dia corre lá fora, por que a estagnação aqui?! Porque essa pausa prepara um grande movimento. Saber parar, saber entender dias parados, saber usá-los positivamente são virtudes maravilhosas. Todo organismo vivo exposto a não parar se autodestruiria brevemente. Ao contrário de perder dias, saber parar o suficiente, e saber voltar a mover-se depois nos acrescenta dias como nada na vida...
Um abraço carinhoso
Lello

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...