quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Bilhetinho a uma certa mal-educada.

Cara expectativa,

gostaria de pedir-lhe um grande favor. Quero que pare de me procurar e me envolver com suas promessas. Andei notando que quando você não está por perto as coisas fluem bem melhor, e toda vez que está, acabo me decepcionando com sua indolência. Creio que você faz isso por pura maldade e ainda por cima se diverte as custas de cada um que diz: "Criei expectativa e não deu nada certo". Pois fique sabendo que eu não te crio e nem alimento sua maldade! Se você aparece é porque é uma boa de uma intrusa. E por favor, pare de querer ser confundida com a esperança, esta sim tem boas energias, você não passa de uma mescla de ansiedade, probabilidade e ilusão. Sou mais feliz sem você, então vá cantar noutro quintal, poxa!

Não precisa desculpar-me pelo jeito rude.


Adeus.   


2 comentários:

Grafite disse...

Intenso e verdadeiro...adorei =)

beiijo querida,
*.*

Wilian Bincoleto Wenzel disse...

Arrumou as malas e partiu... ah, sim. Após esse texto ela foi-se embora.

Importante mesmo foi você ter ressaltado a saudosa Esperança. Essa sim nos tras coisas boas.
Se você já havia como uma moça gentil, a verá ainda mais agora, que ela soube dessas palavras. Sinta-se presenteada por ela por esses próximos dias, moça.

-- --

Essa visita se originou da leitura de um comentário que você me deixou a mais de 1 mês.
Não podia deixar de vir aqui, Tamara.

Um beijo meu .

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...