segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Amar as pessoas como se não houvesse o amanhã.

Uma filosofia, um amor e uma saudade daquilo que não vi.



"Quem me dera, ao menos uma vez,
Explicar o que ninguém consegue entender:
Que o que aconteceu ainda está por vir
E o futuro não é mais como era antigamente.

Quem me dera, ao menos uma vez,
Provar que quem tem mais do que precisa ter
Quase sempre se convence que não tem o bastante
E fala demais por não ter nada a dizer

Quem me dera, ao menos uma vez,
Que o mais simples fosse visto como o mais importante
Mas nos deram espelhos
E vimos um mundo doente.

(...)

Eu quis o perigo e até sangrei sozinho.
Entenda - assim pude trazer você de volta prá mim,
Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do início ao fim
E é só você que tem a cura para o meu vício
De insistir nessa saudade que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Quem me dera, ao menos uma vez,
Acreditar por um instante em tudo que existe
E acreditar que o mundo é perfeito
E que todas as pessoas são felizes !"

Renato Russo.

3 comentários:

Letícia M. disse...

Querida ...
As vezes , sinto medo da sintonia ... incrivel me identifico mt com o que tu escreve e os teus gostos ... Hoje nao tanto , mas minha adolescencia foi cheia de Renato Russo ... adoooro!
Um beijao meu bem!

Isabelle. disse...

Ouvi essa música hoje de manhã.
É maravilhosa e, com total certeza, devíamos fazer dela, um mantra...

Beijos!

Vanessa disse...

"...E se vc parar pra pensar, na verdade não há..."
Amei!
Bjos

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...