segunda-feira, 4 de outubro de 2010

A favor ou contra o tempo.



“Nunca mais? Não tem nunca mais no presente, presente quer dizer imprevisto, tudo eu posso ver agora. Ou daqui a pouco quando for agora de novo.”

(Lygia Fagundes Telles)

6 comentários:

Carolina disse...

"quando for agora de novo"

essa expressão é um tanto confortante. mas ao mesmo tempo me deixa ainda mais ansiosa. por tudo.
e me deixa também conformada: de que o tempo é quem manda em certas coisas. e não adianta de nada a minha teimosia.

um beijo!
:)

Nós 3 disse...

Oi querida , aqui é a Letícia do Petit Poa .. se possivel dá uma olhadinha nesse outro blog e segue lá ...

Aqui sempre lindo :)

beijinhos!

Rebeca Amaral disse...

concordo perfeitamente. o tempo é universal.

beijos, flor. o blog tá lindo.

Poemas e Amizades disse...

Por ser um absurdo exagero do "não", o "nunca" deveria ser usado raramente, talvez duas, três vezes na vida, mesmo assim correndo-se o risco de se cair em contradição. A maioria de nós nunca mais amaria, depois da primeira desilusão... nunca mais creria nas pessoas... nunca compraria o que agora está lá em nossa casa... E ninguém me venha dizer que há qualquer diferença entre o nunca e sempre, aquele mesmo, do eu sempre vou te amar... eu sempre vou gostar dessa roupa...
O tempo é o agora. A afirmação é sim. A negação é não.
Eu mesmo, nunca usaria a palavra nunca...
Beijo carinhoso
Lello

Au disse...

Exatamente. O nunca deveria ser uma palavra usada com mais cuidado, afinal, mudamos sempre. E o que parecia errado hoje, amanhã torna-se certo.


Beijo!

Isabelle. disse...

Devíamos pensar duas vezes antes de usar o 'nunca'...

Beijos!

Postar um comentário

Palavras bem-vindas...